.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O telefone tocou de novo

. Feliz Ano Novo 2010!!!!

. Feliz Natal!!!!

. Boa Páscoa

. Selinho que ganhei....

. Vou mudar de sitio....

. O electroencefalograma do...

. Desafios

. O telefonema da Segurança...

. A consulta do Dinis

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

Há dias assim...

Ele há dias assim, em que apesar de o sol brilhar no céu, eu sinto um frio que me invade o corpo e a alma e que não desaparece de maneira nenhuma. E hoje é um desses dias. Um dia em que se vai ao cemitério colocar flores nas campas dos entre queridos que já desapareceram e que é quase uma festa, uma comemoração. Para mim é uma das coisas mais dificeis que faço na vida, ir à campa da minha mãe colocar-lhe flores. O facto de pensar que a pessoa que eu amava tanto, tão cheia de vida e de garra, está 7 palmos de terra abaixo de mim, numa caixa escura e fechada, deixa-me angustiada.

 

Angustiada pela falta que ela me faz, pelas saudades que tenho, pela incompreensão que sinto por ela ter partido tão cedo ainda, quando fazia tanta falta a tanta gente e particularmente a mim. Já passou 1 ano, 2 meses e 11 dias desde que ela faleceu e eu ainda me sinto muito perdida sem ela. Ela era a minha melhor amiga, um farol na minha vida, alguém a quem eu recorria sempre que tinha problemas, sempre que precisava de um conselho. E agora? Tenho o meu filho, o meu marido, a minha familia e os meus amigos mas nada nem ninguém consegue preencher o vazio que há em mim e que foi deixado pela partida inesperada da minha mãe.

 

Havia que achasse que nós eramos demasiadamente dependentes uma da outra. A minha mãe teve uma vida muito complicada e no fundo eu fui uma espécie de compensação por tudo o que de menos bom lhe aconteceu. E eu compreendia isso, nunca a afastava muito de mim pois sei que ela precisava de me ter junto a ela como precisava do ar que respirava. mas também não tinha muito mais na vida para se dedicar. Teve um neto mas infelizmente só o viu crescer durante 18 meses. Claro que foi melhor que nada, mas havia tanto para ver, ele tinha tanto para lhe dar, experiência para viverem em comum que se perderam, tanto para ele como para ela.

 

Será que faz sentido o que aqui escrevo? Às vezes sinto esta necessidade de abrir a minha alma, de deixar sair cá para fora tudo o que sinto de menos positivo, ajuda-me a seguir em frente, ajuda-me a continuar o meu caminho saber que pelo menos, neste meu cantinho, consigo gritar bem alto sobre a ferida que tenho no coração e que nunca irá sarar.

 

Percebi noutro dia que passo aqui uma imagem um pouco triste, um pouco infeliz mas esta sou eu aqui, alguém que no dia a dia deita as suas feridas para trás das costas por achas que os outros não tem que aturar os meus problemas e as minhas crises existênciais. Sei que tenho amigas que me ouviriam se eu quisesse falar, mas sinto-me melhor assim, a escrever aqui, até porque sempre tive um diário onde fazia o que faço aqui, imagino que seja a evolução dos tempos e como tal tenho um diário que partilho com vocês e que me faz sentir mais leve, mais pronta para continuar a minha vida.

 

Mas que choro ainda muitas vezes a falta da minha mãe, isso choro e que não consigo ir ao cemitério sem chorar, isso também é verdade. Só que se calhar isso até é bom, não sei mas também se querem saber, não me interessa muito, faz-me sentir melhor e pronto!

  

* Mau estar do JD - parte II

 

Obrigada por se terem preocupado com o meu menino. Se calhar fui mesmo mãe galinha pois ele nunca mais se queixou de dores nas pernas e até tem andado muito bem disposto. A minha estimativa é que ele fica doente uma vez por mês, vou fazer apostas para quando será neste mês de Novembro... A tosse está melhor mas ainda não passou, não sei que hei-de fazer para esta maldita passar. Faço praia, dou-lhe vacina, comprei purificador de ar, dou-lhe medicamentos antes de dormir e talvez isto tudo ajude mas passar totalmente nunca passa. Acho que é mesmo uma fragilidade que ele tem

 

* Eu na TV

 

OK, desta vez apetece-me contar. Amanhã vou aparecer na TVI, no programa do Manuel Goucha. Vou mais uma vez contar a minha história de infertilidade e esperar que com isso desperte a atenção da opinião publica para pensarem mais um pocuo no assunto. E digo mais uma vez pois já o fiz várias vezes. Apareci 2 vezes no telejornal do Canal 1, no programa Essencia da SIC Mulher, dei o meu testemunho para o final da novela Páginas da Vida e por ultimo fui às Tarde da Julia Pinheiro. Nunca falei no assunto mas sei que algumas de vocês me viram nestas minhas andanças. Também nunca falei sobre isto porque confesso que no fundo sou um pouco timida e não gosto de estar aqui a dizer: "Olhem, vou estar na televisão!". Mas hoje apeteceu-me, podia ter-me dado para pior mas resolvi contar-vos este pequeno promenor da minha vida, que é ser estrela de tv...  (sim, sim, vai sonhando... basta ver a fortuna que ganhas com isso, deixa cá fazer as contas.... hhuuummm, ah, pois, nunca ganhei nada, apenas o prazer de representar um grupo de pessoas corajosas que sofrem de infertilidade e que tem de lutar desesperadamente para serem mamãs e papás).

 

 

 

 

publicado por era1xeu às 22:49

link do post | comentar | favorito
18 comentários:
De Paula a 2 de Novembro de 2007 às 08:40
Foi muito bonito o que disseste acerca da tua mae, o meu pai partiu ha quase 32 anos e estas datas a mim tambem me deixam muito sensivel. Ontem estive o dia todo a fazer mudanças em casa para distrair a cabeça e não me lembrar. Até pq tambem tenho uma tia de quem gostava muito, partiu mto nova e ontem fazia anos.
Se hoje não estivesse a trabalhar, ia estar com a maxima atenção ao programa do Manuel Luis Gocha.
Beijinhos e bom fim de semana
De Golfinho a 2 de Novembro de 2007 às 09:21
Olá minha vedeta de tv linda!!! Nem imagino a dor que sentes, principalmente nestes dias difíceis... O que vale é que tens o sorriso do teu menino lindo para te dar forças para seguir em frente!!! Tenho pena de não te ir ver na tv desta vez, mas estou a trabalhar... Beijinhos grandes!
De Mamã Vera a 2 de Novembro de 2007 às 10:50
Acho normal a tua tristeza... acho que deves chorar o q quiseres... faz bem... tb eu adoro a minha mãe... ela é a minha melhor e maior amiga... iria fazer-me uma falta desgraçada!!

Não acho que sejas uma pessoa triste... tens problemas como todos nós... e expões esses problemas... coisa que muitos não fazem!!

Ainda bem que o teu menino está bem... pelo menos até à próxima!! lol

Infelizmente não te posso ver na TV... estou a trabalhar... :)

Beijocas grandes
De paulitaeze a 2 de Novembro de 2007 às 11:04

OLÁ PRINCESA...

NÃO CONSIGO IMAGINAR O QUE ISSO DEVE SER : PERDER UMA MÃE..., MAS TENS QUE TE POR BEM PQ O TEU FILHO SOFRE SE TE VIR TRISTE TENS QUE PENSAR NELE, NO SORRISO, NAS ASNEIRAS, NAS BIRRAS, ETC.
FORÇA AMIGA....

QUANTO AO PROGRAMA DO VOÇÊ NA TV ACHO QUE FAZES BEM IR LÁ PORQUE CONTAS A TUA HISTÓRIA E ALERTAS AS PESSOAS QUE SOFREM DE INFERTILIDADE .

VOU VER SE DOU UMA EXPREITADELA NA TV PARA TE VER...
BEIJINHO DO TAMANHO DO MUNDO E MUITA FORÇA
De Claudia a 2 de Novembro de 2007 às 11:18
É uma pena não poder ver-te porque estou a trabalhar. Mas tenho a certeza que irás representar-nos muito bem, não conheço ninguém que pudesse fazer isso melhor, só tenho que te agradecer pelo trabalho que tens feito e acima de tudo a força que transmites, não te vejo como uma pessoa triste mas sim forte e cheia de força. Depois de tanta dor sofrida, de tantas lágrimas derramadas estás aí a lutar, olho para ti e sei que a tua mãe deveria ter muito orgulho da filha maravilhosa que és e sei que irás transmitir tudo o que ela te deu ao JD. Bjs grandes
De paulitaeze a 2 de Novembro de 2007 às 14:30
EU VI-TE, EU VI-TE, EU VI-TE

TÁ VAS TODA GIRAÇA(TU E O TEU MARIDO)
SIM SENHOR TÁS A FICAR IMPORTANTE APARECES NA TELEVISÃO E TUDO...

BEIJINHO ESTIVESTE MUITO BEM PARABENS PELA TUA PRESTAÇÃO.
De Liliana a 2 de Novembro de 2007 às 15:54
Ó pá, agora fikei triste!!! Acabo de ler k vais aparecer na tv e perdi-te, ñ vi. Sim tou a ler este post ás 15:50 k chatice....

Olha é preciso ser uma mulher de força pa seguir em frente como tu o fazes.

És 5*, melhor 6, ñ 7, 8 ,9 olha és as estrelas todas eheheh

Bjos Liliana e seu anjo rafael***
De Maganita a 2 de Novembro de 2007 às 17:36
Infelizmente mais uma vez não consegui ver-te na televisão mas já ouvi dizer que estiveste muito bem. Parabéns!

Não te deixes toldar por aquilo que eventualmente pensas ser a opinião dos outros. Sê tu mesma, sem reservas. Este é teu espaço e deves utilizá-lo da forma que te der mais prazer.

Quanto à tua mãe, sei que tudo o que possa deixar aqui já o pensaste também...um grande beijinho e força para ultrapassar estes dias mais emotivos.
De Sandra a 2 de Novembro de 2007 às 20:47
EU VI-TE ... EU VI-TE ... e sem saber que irias lá estar.
Estavas LINDA!!

Palavras de conforto para o dia 1 não as tenho pois eu tb estou sem assim, como tu. Com um aperto no peito pela lembrança dos que já foram mas que continuam comigo sempre ...

Beijinhos grandes minha vedeta de 5*
Sandra e Matilde
De mimika a 2 de Novembro de 2007 às 21:31
Entendo tudo, mas mesmo tudo o que disseste sobre a tua mãe. Sinto-o.

Vi-te na TVI, acho que estiveste mto bem, ou melhor estiveram!

Beijinhos

Comentar post

.links

.subscrever feeds

.posts recentes

. O telefone tocou de novo

. Feliz Ano Novo 2010!!!!

. Feliz Natal!!!!

. Boa Páscoa

. Selinho que ganhei....

. Vou mudar de sitio....

. O electroencefalograma do...

. Desafios

. O telefonema da Segurança...

. A consulta do Dinis