.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Mais uma convulsão febril

. Obrigada Hospital Amadora...

. Convulsão e hospital de n...

. Um fim de semana para esq...

. 1ª ida às urgências do me...

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.Prémio que ganhei

.Contador

visitas

.Relógio

blogs SAPO

.subscrever feeds

.My Baby

Lilypie 5th Birthday Ticker

.Adopção

Lilypie Waiting to adopt Ticker
Terça-feira, 23 de Dezembro de 2008

Mais uma convulsão febril

Pois é, este ano tem sido péssimo para mim e não podia terminar sem que acontecesse mais uma complicação. Mas vamos por ordem...

 

Quase todos os dias temos tido festas, aniverários ou almoços de Natal e a semana que passou não escapou à regra.

 

6ª feira foi dia da festa de Natal na escola do Dinis, onde os pais não podia participar, por o espaço ser muito pequeno, com muita pena minha. Mas ele foi entusiasmado e o Pai Natal também andou por lá e deu-lhe esta prenda:

 

Por este andar, quando chegar o Natal, já tem as prendas todas abertas..... Mas adorou e eu também, já brincamos imenso com esta pista tão gira.

 

O resto da festa adivinha-se. Teve de ir de camisola vermelha e farenel especial, mas o que lá se passou talvez seja desvendado quando vi o video que filmaram e as fotos que tiraram.

 

Nesse mesmo dia tivemos festa de aniversário, da minha afilhada que fez 10 anos. Está tão crescida, a minha menina e muito bonita. Um nico de genta a um passo de ser mulher.

 

 

Sábado foi um dia sem nada de espcial para contar, algumas compras feitas e arrumações para preparar a casa para a mudança, que afinal vai ser só no próximo sábado.

 

Domingo foi dia de fazermos de Mãe e Pai Natal e fomo entragar prendas a um dos meus filhados. O Dinis ganhou mais umas prendas, que voltou a abrir, claro...

 

 

O Dinis andou muito molinho. Ele adora ir a casa do meu afilhado, mas andou sempre quixoso. Tinha tosse desde sábado à tarde e a noite tinha sido péssima, pelo que eu resolvi que ele não ia a uma festinha de aniversário de uma colega da escola (a 2ª a que não vai, por motivos variados, com muita pena minha...)

 

Quando chegamos a casa, por volta das 21h 30m, acheio quentinho e vi a febre. Tinha 38º. dei-lhe Brufen e Actifed para a tosse irritante que tinha. Pediu leitinho e ficou na minha cama a ver o circo que estava a dar na televisão.

 

Estava o leite quase no fim quando o vejo começar a tremer e a revirar os olhos! Lá vem mais uma convulsão.... Como tinha tido uma em Agosto, eu estava preparada e apliqui logo um relaxante muscular (Stesolide) que o deixou mais relaxado mas sem dar acordo de si e a balbuciar coisas sem sentido.

 

Fomos ao hospital e espero não ter apanhado uma multa, tal era a velocidade a que o meu marido ia. Entramos assim que lá chegamos e quando o coloquei na marquesa para a triagem, olhou para mim, sorriu e disse "Olá mamã". Fiquei logo mais descansada.

 

Fez xixi e cócó sem dar conta e ficou admirado por lhe terem posto uma fralda. Tinha 39,5º de febre. Ficou só com o body e a fralda para ver se a febre baixava e enquanto esperavamos na sala que o médico nos chamasse, esteve sempre acordado e a conversar connosco.

 

Quando fomos chamados adormeceu e caiu num sono profundo, não acordando por nada. A médica examinou-o e disse que era normal, após a convulsão e como reacção ao relaxante muscular, mas que tinha de ficar lá até acordar, para vermos como reagia.

 

Fez análises e mal acordou quando foi picado, ficando a dormir novamente logo a seguir. Ficou numa maca até às 2 horas da manhã e eu sentada numa cadeira junto dele. O tempo não passava e como ele não acordava, a médica resolveu que ia ficar num quartinho mas sossegado (o mesmo onde ficou em Agosto) para ver como evoluia a situação.

 

 

Ficou a soro e eu fiquei junto dele, numa cadeira reclinável, onde consegui descansar um bocadinho, uma hora talvez. Por volta das 5 da manhã acodou muito bem disposto. Mas a febre comecou a subir. O Ben-u-ron não fazia nada, só o Brufen e o arrefecimento com ele todo despido com compressas molhadas, fez a febre baixar. Ele adormeceu de novo por volta das 8 da manhã e eu aproveitei para ir à casa de banho, apanhar fresco e tomar o pequeno almoço.

 

Quando voltei já estava acordado, a conversar pacificamente com uma enfermeira. Uma médica veio ve-lo. Disse que ele podia ir embora, as análises estavam bem e a febre devia ser devido a uma virose que por ai andava e que dava febres muito altas (3 amigas minhas tiveram os filhos que essas viroses e as febres rondavam sempre os 40º). As recomendações do costume, Brufen, Ben-u-ron, vigia-lo por o mais complicado era se tivesse outra convulsão antes de fazer 24 sobre a 1ª, mas como era febril e ele já tinha tido em Agosto, não era muito preocupante, apesar de assuntador para os pais (nada que eu já não soubesse, quando ele teve a 1ª, li tudo o que havia para ler sobre convulsões

 

Fomo para casa. Quando ele chegou começou a queixar-se que tinha sono. Começou a tremer com frio. A febre subiu. Dei-lhe Brufen. Passou a tarde toda a dormir. E eu tão preocupada, pois ele é tão activo. Mas sabia-o cansado e sobre o efeito da medicação.

 

Apesar de saber isto tudo estava muito preocupada. Tive de lhe baixar a a febre com paninhos molhados e ele tremia por todo o lado e chorava que tinha frio. Tive de lhe cantar canções que lha cantava quando era bébé e que o acalmam muito.Fazer muitas festinhas e ficar de cara encostada à dele.

 

Nem imaginam o meu desepero... Sentia-me tão impotente perante os problemas do meu menino. Chorei por me sentir impotente para o ajudar, para lhe baixar a febre, para o fazer sentir melhor. Chorei por todas as vezes que tive de ir com ele ao hospital, que estive com o coração nas mãos, que me senti desperada por ver um ser tão fragil, que eu amo de paixão a sofrer...

 

Finalmente a febre baixou. Dormeu a noite toda sem roupa. Continuo a dar Ben-u-ron e Brufem de 4 em 4 horas para ver se não sobe de novo. A 1ª coisa que me disse quando acordou, ás 8 da manhã, foi: "Mãe, já me podes vestir uma roupinha, já não tenho febre...."

 

Vamos ver como corre o dia de hoje. Se a febre voltar vou de novo ao hospital, porque se calhar necessita mais do que a medicação que está a tomar. Mas rezo para que mais esta crise terrivel tenha passado. Porque estou sem forças. Porque estou cansada.

 

E depois de tudo isto resta-me desejar-vos um feliz e santo Natal, cheio de paz, amor, saude e claro, prendinhas no sapatinho

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por era1xeu às 11:54

link do post | comentar | ver comentários (43) | favorito
|
Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

Obrigada Hospital Amadora-Sintra

Sim, desta vez faço questão de dizer qual foi o hospital onde o meu filho foi atendido. Foi nos Hospital Amadora-Sintra. Graças a Deus só lá tinha ido até agora visitar outras pessoas e nem sempre ouvi dizer muito bem dele. Mas eu fiquei agradávelmente surprendida com o tratamento.

 

OK, não lhe fizeram nada de especial, mas a simpatia e o rápido atendimento faz com que nos sintamos mais seguras de que o problema poderá ser identificado e resolvido. As enfermeiras e médicas eram muito simpáticas para o meu filho e estavam sempre a por-me a par da situação, por isso sentia-me sempre mais descansada por isso, mesmo quando estava muito preocupada por a febre não baixar.

 

Uma amiga minha dizia-me que nós gostavamos consoante o resultado, pois se as coisas corriam bem, gostavamos do atendimento, se coriam mal~, não gostavamos. Mas acreitem, desde Março é o 4º hospital que visito com o meu filho e foi naquele em que ele foi mais bem tratdo. Por isso, obrigada ao pessoal do Hospital Amadora-Sintra, que tão bem tratou o meu filho.

 

Agora já estou mais calma, ele não tem tido febre mas até tenho medo de dizer que ele está bem. Passo a vida a por-lhe a mão na testa e o termómetro tornou-se o meu melhor amigo. Temos dormido os 3 na mesma cama. O que vale é que a minha cama é grande, mas isso não impede que se acorde com ele em cima de nós ou com uns pés na nossa boca.

 

Ele também anda muito feliz. No dia em que regressou da hospital vinha tão contente que dava gargalhadas enquanto subia a escada.

 

Eu não consigo parar de olhar para ele e de me sentir abençoada. Não posso viver sem ele e até os seus disparates me parecem a melhor coisa do mundo. Só me apetece estar sempre a beija-lo e a dar-lhe mimos.

 

Estou a tentar encarar tudo o que me tem acontecido de outra forma. Temos de pensar que podia tudo sem bem pior e ver o lado menos mau de tudo. Se a vida nos dá limões, temos de fazer limonada, certo?

 

Por isso estive a pensar:

- o meu filho teve um torcicolo provocado por uma pancada, mas podia ter sido bem pior se ele tivesse tido um hematoma;

- o meu filhote teve uma convulsão febril, mas podia ter sido bem pior se não tivesse sido provocada pela febre ou se a febre não tivesse baixado ainda;

- não nos queriam renovar a licença para acabarmos a construção da nossa casa, mas o meu marido conseguiu que lha prorrogassem por mais 6 meses (1 já lá vai...) é ese o prazo que temos para a acabar, senão lá vai mais uma pipa de massa para uma nova licença;

- não conseguimos vender a casa onde moramos e o dinheiro da venda faz-nos muita falta, mas quem sabe se não é melhor assim, se a vendessemos antes da nova estar concluida, tinhamos de mudar tudo para algum sitio e depois para a nova casa;

- não consigo ter mais filhos biologicos e por adopção, só mo devem dar quando eu tiver uns 90 anos e ai com uns 10 anos de idade, sendo que eu vou recusar, claro; talvez seja melhor assim para o meu filho, talvez ele precise de mim só para ele, talvez porque eu não tenho ninguém para me ajudar agora (tinha a minha mãe quando o Dinis nasceu que me ajudou e muito...) por isso a minha vida ia ser super-dificil se mais uma criança entrasse nela (ok, ok, esta ultima ainda tenho de a repetir para mim mesma umas 200 vezes para me convencer, mas eu chego lá...);

 

Tenho de pensar assim, por mim, pela minha sanidade mental, pelo meu filho, pelo meu marido e por todos aqueles que me rodeiam. Tenho de tentar ser feliz com o que tenho e ver o lado positivo da vida. Só assim posso continuar o meu caminho, cheio de curvas e contracurvas.

 

Amo cada vez mais o meu filho e a prespectiva de o poder perder é sem duvida o pior pesadelo de uma mãe. A minha vida acabaria se algo de muito grave acontecesse, mas os sustos que tenho tido fazem-me ver com mais clareza como sou uma pessoa de sorte por ter a companhia do meu filho, lindo, feliz e saudável.

 

Por isso o meu muito obrigada a todos os que nos apoiaram, por telefone, com mensagens, aqui no meu blog, e também aos porfissionais de saude que tornaram possivel o regresso a casa do meu querido e amado filho. Acreditem, quando somos crianças queremos muitas vezes ser médicos de bebés mas não é tarefa fácil. Mas crianças que passam pelas mãos destas pessoas estão doentes, assustadas e fragilizadas, não será pois nada fácil lidar com elas. Eu passei a noite inteira a ouvir crianças gritar e chorar, ao serem examinadas por pessoas, que elas não conheciam, por muito amáveis que estas fossem.

 

Amo-te meu filho lindo, e tu sabes isso, pois eu repito-to 200 vezes por dia e tu responde: "Gosto muito de ti e também te amo muito, mamã" (as palavras mais lindas do mundo!!!!

  

 

 

 

tags:
publicado por era1xeu às 23:17

link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|
Sábado, 9 de Agosto de 2008

Convulsão e hospital de novo

Os chineses dizerm que o nº 8 dá sorte e por isso 8/8/2008 pelas 8h 8m seria uma altura mágica e de muita sorte. Mas para mim, ficará sempre na memória como um dia bem negro na minha vida.

 

Tudo começo no dia anterior, quando fui buscar o meu filho a casa dos meus sogros. Notei que estava um pouco mais mole que o habitual, a pedir para dormir, apesar de ter dormido uma boa sesta. Quanto cheguei a casa vi-lhe a febre e tinha 37,6º, portanto mais quente que o habitual e dei-lhe Ben-u-ron. Dormiu até às 4 da manhã, altura em que me chamou, dizendo que queria fazer xi-xi. Quando o levantei, deitou sangue pelo nariz. Situação já habitual nele, mesmo depois da veia queimada no Hospital da Estefânia. Não foi nada de especial nem em grandes quantidades, por isso controlei a hemorregia, peguei-lhe ao colo e depois de o adormecer, fiquei mais um pouco junto dele. O meu coração de mãe não estava sossegado e ainda bem que assim foi.

 

5 minutos depois abriu os olhos com um ar alucinado e começou a revirar os olhos. Chamei por ele, abanei-o, bati palmas, gritei-lhe aos ouvidos, acendi a luz do quarto, apontei-lhe uma lanterna aos olhos e nada!!! Fiquei em pânico e gritei ao meu marido que tinhamos de ir para o hospital com o menino. Enquanto eu me vestia o pai estava com ele ao colo e tentava que reagisse. Mas nada! Quando veio para o meu colo, para o pai o vestir, notei que ficava mais descontraido, pois os braços e as pernas ficaram rigidos. Perguntei-lhe o nome dele e o meu e ele respondeu correctamente. Mas depois começou a balbuciar coisas sem nexo tipo "gá gá gá" ou "nhã nhã nhã".

 

Fomos para o carro e ele começou a falar melhor mas coisas sem sentido, como "Mão liga o video" ou "vai buscar a bola debaixo da cama". Quando paramos o carro à porta das Urgência do hospital, ele vomitou sangue! Pareciamos sem duvida 2 loucos a correr como menino aos colo pela porta dentro, nem sei se fechamos o carro...

 

Entramos logo e foi visto por uma médica. Chorava sem parar, até que se acalmou comigo a falar com ele e adormeceu.

 

Tinha de fazer análises e raio x ao torax, por causa do sangue que vomitou e ficar em vigilância pelo menos 12 horas.

 

Acordou com a picada para lhe colocarem o cateter e tiveram de o picar 3 vezes, pois a agulha entortava sempre. Fez o raio x e achou piada a tirarem-lhe uma foto com luzes.

 

Tinha 37,8º de febre quando começou a sangrar pelo nariz e o pai deu-lhe Brufen. Quando foi à triagem tinha 37,9º, quando foi visto pela médica já tinha 38,8º...

 

À 1º vista, o vómito de sangue (horrivel, preto, meio digerido e com um cheiro horrivel) devia ser o sangue que tele tinha engolido em vez de explir pelo nariz. mas para despistar algo mais, fez o raio x ao torax.

 

Fomos para o SO por volta das 7 e meia da manhã e foi ai que o meu menino foi vencido pelo cansaço e adormeceu. A enfermeira disse-me para eu me sentar numa cadeira reclinável e descansar um pouco. Acham que consegui? Não despregava os olhos do meu menino, com medo que alguma convulsão voltasse.

 

Tudo me passava pela cabeça, o que seria, se ele iraia ficar bom, se ira ter porblemas mais tarde... As forças que tinha ido buscar sabe-se lá onde estavam por um fio e sentia-me completamente desesperada. Afinal pedi o meu pai no hospital e a minha mãe também...

 

Tinha de estar só eu com o menino, por isso o meu marido foi embora e apesar de ele me ter telefonado várias vezes a perguntar que eu queria que ele me substituisse, eu não podia deixar o meu menino. Nunca mais o vou fazer com ninguém que ele ao hospital. A minha mãe ficou lá e nunca mais a vi com vida, se eu soubesse...

 

O raio x apresentava uns pulmões limpos, a análises de urina estava boa. Só as de sangue apresentavam um infecção, apesar de ser ligueira, sendo que tal indicava que não devia ser meningite nem encefalite, mas tinhamos de ver como a situação ia evoluir e podia vir a ser necessário fazer uma punção para despistar essas doenças.

 

A meio da manhã fomos ao otorrino, que mal lhe mexeu no nariz, desencadeou uma hemorregia brutal. Tiveram de lhe laquear uma veia na narina direita de novo, o que já tinha sido feito no Hospital da Estefânia, o que desencadeou uma gritaria enorme. Como resultado ficou com a parte por baixo do nariz preta e chamuscada, pelo que parece que está mascarado de gato, não  vos parece?

 

 

 Passamos o dia no SO, entre periodos sem febre e outros com febre. De tarde foi dificl baixa-la, mesmo com medicação, pelo que a maldita só baixou à custa de pouca roupa no corpo e compressas de água fria na testa e corpo. Vejma o meu menino, no hospital:

 

 

Se a febre tivesse baixado, tinham-nos deixado sair ainda ontem, mas isso não estava a acontecer. Tinhamos de lá passar a noite.

 

A febre só subiu por volta da 1 da manhã e deram-me um supositório de Ben-u-ron para lhe por. Até este momento a febre não voltou. Por isso, por volta do meio dia, deixamos o hospital, Não sabem de onde veio a febre. Provavelmente uma virose. O sangue foi mesmo o que não deitou pelo nariz e a convulsão pode ter sido pontual ou pode acontecer de novo. Como foi derivada à febre é menos perigoso do que fosse sem febre. Receitram um relaxante muscular para o caso de voltar a acontecer. E disseram para vigiar se ele voltava a ter febre.

 

Vim para casa tão feliz e o meu menino também... Esta manhã ele já tinha voltado a ser o menino que eu conheço, a cantar e cheio de perguntas. Quando chegou a casa estava tão feliz que dava gargalhadas enquanto subia as escadas.

 

E eu? Não ganhei para o susto! Tive muito medo de perder o meu menino ou de ele ter problemas graves de saude. Não sei onde fui buscar forças. Por durmo desde as 4 da manhã de 5º para 6ª feira. Mas não domir descansada nos próximos tempo. E se sucede de novo e eu não dou conta? Será que já alguma vez terá acontecido e eu não dei conta? E se eu não me tivesse deitado ao pé dele? E se eu tivesse adormecido logo? Acho que vou dormir com ele nos próximos tempos, que acham?

 

Estou feliz por o ter de novo bem a meu lado, mas para mim ainda não acabou. Só vou descansar se nos próximos tempos não acontecer nada. Olho para ele e sei que é o sol da minha vida e sem ele nada faria sentido.

 

Já não vamos embora amanhã, como planeado, vamos esperar mais uns dias e se tudo correr bem, vamos então de férias como deve ser.

 

Mas o medo vai ficar entanto me lembrar do terror que foi ver o meu menino sem dar acordo de si. Ou seja, vai continuar para sempre.

 

Se algume tiver experiência deste tipo de problemas, por favor, partilhem comigo, ok?

 

(peço desculpa pelo post aos bocadinhos, mas ainda não devo estar em mim, carreguei no "publicar" sem querer e depois fui actualizando aos bocadinhos...  :)

 

publicado por era1xeu às 19:30

link do post | comentar | ver comentários (36) | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Julho de 2008

Um fim de semana para esquecer

Na 6ª feira sai cedo do emprego, pois havia um lanchinho de fim de ano na escola do Dinis. Os papás e as mamãs levavam comida e bebida e estavamos todos ali um bocadinho no convivio. Estava um calor terrivel, quase nem se conseguia respirar numa sala cheia de crianças, mães, pais e outros parentes. Por isso e porque queriamos ir para a terra da minha mãe cedo, demoramos lá pouco tempo. No fim entregaram uma pasta com os trabalho que o meu menino tinha feito ao longo do ano. Aqui está ela e alguns dos trabalhos por ele executados:

Estão a ver os litros de baba que eu deitei, orgulhosa como os trabalhos que o meu rebento tinha feito.

 

Quando fomos para o carro, ele queixou-e que lhe doia o pescoço. Quando perguntei o que se passava, respondeu que a namorada lhe tinha entalado o pescoço no caixote do lixo, no sitio onde brincavam no exterior. Vejam só a ideia da escola, tem o pátio onde as crianças brincam em obras e eles agora tem de brincar no empedrado. À 15 dias veio com um braço todo esmurrado e ainda agora tem lá a marca, não sei se não vai ficar para sempre... Porque não fizeram as obras durante o m~es de Agosto, quando a escola fecha????

 

Não liguei muito, são crianças, beincam, magoam-se. Ele disse que não tinha chorado, logo achei que não lhe tinha doido muito. Ao fim e ao cabo, ele anda sempre escamoqueado, fezes demais, penso eu agora. Foram arranhadelas na cara, um olho negro de uma cabeçada, que originou deitar montes de sangue pelo nariz, a esfoladela grande no braço e agora isto.

 

Pelo caminho foi-se queixando e ficando cada vez mais rabugento.Deixamos os meus sogros na casa deles e fomos para a terra da minha mãe, cujas festas se realizaram este fim de semana. São organizadas pela minha familia e nós gostamos de ajudar, eu geralmente fico na caixa e o meu marido ajuda ao balcão, a servir bebidas, coisa que ele acha engraçado. Aqui está o meu filho a comer um arroz doce na festa.

 

Pouco jantou, sempre a rabujar e cada vez a caixar-se mais do pescoço. Acabou por ficar com ele muito rigido, sempre virado para o lado direito. Só queria andar ao colo e miminhos, não queria mais ninguém a não se a mim e nem aos familiares que conhecia bem, queria falar.

 

Fiquei preocupada, não o podia deixar durante a noite assim, por isso toca a ir ao hospital da zoan, onde chegamos por volta da meia noite. Foi logo chamado mas entretanto, adormeceu. Fizeram a triagem e como era no pescoço, foi logo à médica que lhe mandou fazer um raio x para ver se havia lesões. Falei na meningite, algo que me provoca pânico, mas ela disse que isso é viral e não por se dar uma pancada.

 

Fez o raio x e tive de o acordar, pois tinha de estar em pé. Não foi fácil, tive de o fazer caminhar meio a dormir e chorou o tempo todo. O médico achou que ele não a ia conseguir fazer, mas só depois percebi que achava que ele não se conseguia mover. E que se fosse filho dele não o tinha feito, pois se tivesse lesões na coluna ou no pescoço, não mexia os braços nem as pernas (o que ele pensou que era o que se passava, por ele estar a dormir). Bem, mas estava feito e até achei tudo muito rápido.

 

O pior foi depois. Devem ter visto que não era nada de grave e teve de aguardar quase 3 horas para ir ao ortopedista, poiis para nossa azar, havia muita gente com braços e prnas partidas.

 

Já passava grandemente das 3 da manhã quando nos chamaram e o médico nos disse que estava tudo bem com a coluna e o pescoço e que era um entrose, muito vulgar nas crianças. Deu-lhe um clister para relaxar os musculos e mandou tomar outro na noite seguinte. Nessa altura o meu menino acordou mas bem disposto. Também disse para tomar Ben-u-ron e Brufen, por pausa das dores, de 4 em 4 horas, entrecalados os 2. Ainda devia demorar umas 72 horas a passar, mas quando ele já não se queixasse das dores, para deixar de lhe dar os análgésicos.

 

Com tudo isto ele acabou por acurdar, mas bem disposto. Pediu água, mas a máquina estava estraga a e bebeu um sumo. Fomos à procura da farmácia de serviço mas não tinha os remédios que eu necessitava. Fomos para casa, descansar um bocadinho finalmente. deitamo-nos quase às 5 da manhã e às 8 ele acordou e pediu para ir para a minha cama. Fui busca-lo mas já pouco dormi.

 

Sábado, dia de almoço em casa dos primos, com umas 20 pessoas. Muito rabuhento sem querer falar, comer ou brincar com os primos. Deu-lhe o sono e dormiu 5 minutos. Acordou mais bem disposto e voltou a dormir a sesta por volta das 5 horas, dormiu 3 horas.

 

Como estivesse mais animado, fomos para a festa. Brincou e correu até se cansar. Foi dormir por volta da 1 da manhã. Quando acordou, ficou feliz por o pescoço não lhe doer, mas conforme o dia avançou, foi começando a queixar-se de novo.

 

Hoje a mesma coisa. Acho que vou ao pediatra para ver o que se passa. sei que estas coisas demoram a melhorar, mas tenho medo que ele ganhe este jeito, assim com o pescoço de lado, ora vejam nesta foto:

Quando o fui levar à escola falei com a educador e disse que estava muito chateada com elas. Como é possivel ter um cinzeiro podre e abandonado na área onde as crinças brincam? E porque não fizeram as obras no recreio em Agosto, mês em que as escola está fechada? Querem ir todos de férias?

 

Estou muito aborrecida, a sério que estou. A segurança do meu filho é essencial e senti que está em risco. Vou a pediatra com ele e vou entregar na escola para me pagarem. Afinal pago seguro, não é?

 

A sério, eu não queria nada que este blog fosse um muro de lamentações, mas sinceramente, já chega de arrelias na minha vida, não acham? E nem vocês sabem tudo. Partiram um vidor ao meu carro á 15 dias, o meu marido anda com um torcolho no olho que até teve de ir ao oftalmologia, não consigo vender a minha casa e até a licença de construção da casa nova não nos querem renovar....

 

Mas de tudas as coisas, o que me preocupa mais é a saude do meu filho. Quando não é a tosse é o sangue que deita pelo nariz. Ou então algo de novo, como este entorse agora.

 

Quando regressei a casa ontem, fartei-me de chorar. Estava uma pilha de nervos, não me conseguia controlar, mas que mal fiz eu na vida para mereces estes tormentos todos???? Bem preciso de boas noticias, de algo bom na minha viad, senão a minha sanidade mental corre sérios riscos de se aguentar como deve ser. Desde que a minha mãe morreu, faz em Agosto 2 anos, que a minha vida anda virada de pernas para o ar.

 

Que venha um fase boa e depressa, por favor, por favor, por favor!!!!!

 

 

 

 

 

sinto-me:
publicado por era1xeu às 12:15

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Março de 2008

1ª ida às urgências do meu filhote

Ontem o dia em casa da minha tia correu muito bem e como tal pensei que o pior já tinha passado, apesar de estar muito seriamente a pensar leva-lo a um oftalmologista, mal não faz de certeza.

 

Deito-se um pouco tarde mas dormiu bem durante a noite, mas por volta das 7 da manhã chamou-se a dizer que tinha ranhocas. Mesmo no escuro percebi logo que não era ranhoca mas sangue e toca de o fazer parar, apertando o nariz e colocando na narina aqueles bocadinho de uma espécie de esponja que depois é absorvida pelo organismo.

 

Parou e deixei-o na minha cama a beber o leite e a ver desenhoa animados na tv para poder tomar banho. Estava eu com o cabelo cheio de espuma quando o meu marido me vem dizer muito aflito que ele estava de novo a deitar sangue. Lá me despachei à pressa e fui ajuda-lo mas não foi nada fácil parar o sangue desta vez. Ele não parava de chorar assustado e o sangue saia cada vez mais. Tive de o acalmar e por fim lá conseguimos para-lo. Havia sangue por todo lado, nas roupas de nós os 3, nas camas, em toalhas, dodot's, enfim, parecia um filme de terror. Mas ele depois ficava sempre bem disposto e resolvi leva-lo para a escola, tendo esplicado muito bem à educadora o que se tinha passado e também as recentes dores de cabeça. Ela disse que por coincidência uma outra menina na sala também se tinha queixado de dores de cabeça na 3ª feira, de tal modo que teve de chamar a mãe dela. Estranho, não? Mas ele não ia à escola á quase uma semana....

 

Por volta do meio dia telefonei e a educadora disse que ele tinha sangrado muito, que nunca tinha visto uma criança tão pequena a deitar tanto sangue e que teve mesmo de o levar à enfermeira para ela ajudar nessa tarefa. E que tinha sido espontâneo de uma das vezes, sem ele meter o dedo no nariz. Mas estava bem disposto e a almoçar, pelo que a seguir ia dormir a sesta e se algo não corresse bem, que me telefonava.

 

Fui almoçar também mas não parava de olhar para o relógio, pois cada minuto que passava sem o telefone tocar, para mim era sinal de que tudo corria bem. Mas ás 14h 45m o telefone tocou e era ela, a dizer que ele tinha dormido bem mas que a almofada estafa cheia de sangue... Não perdi mais tempo e sai disparada para o levar ao hospital, não queria saber de pediatras, linhas telefónicas nem nada.

 

Lá fomos à Estefânia e saimos de lá por volta das 21h 30m! Fomos bem tratados mas o tempo de espera é infinito. Fomos à triagem e consideraram o caso dele prioritário. Fomos à pediatra que começou por dizer porque estava naquele hospital um menino que não morava em Lisboa cidade. Porque estava na cidade nessa altura, ora essa! E se tinha sintomas à uns dias, porque não tinha ido ao hospital da zona na altura???? Homessa, então se ele estava assim a sangrar tanto e estavamos a discutir pormenores de treta???? Fiz logo uma cara de zangada e desbobinei a história toda de uma vez, ao que a médica deixou de me chatear com o assunto.... Estamos bem servidos de médicos neste pais, estamos sim!

 

Bem mas vamos ao que interessa, mediram-lhe a tensão muitas vezes, pois disseram que nos adultos este tipo de sintomas tem a ver com hipertensão, mas estava tudo bem. Depois de um exame exaustivo, mandaram-nos fazer análises e ao otorrino. Ele estava a achar tudo o máximo, era novidade e tudo muito mexido e cheio de frasquinhos e maquinetas.

 

E fomos tirar sangue. Fiquei tão orgulhosa do meu menino.... Só chorou um pouco quando lhe espetaram a agulha na veia mas depois calou-se logo e não se queixou mais. Tirou 3 tubinho dele, olhem que foi obra!!! Grande valente!

 

Depois foi o otorrino e ai foi pior. Teve de lhe limpar o nariz e fazer a sua aspiração e ele não gosou nada. Gritou e chorou muito e teve de vir um auxiliar segura-lo para o médico lhe colocar um tampão no nariz para ver se parava a hemorregia. Vejam como ficou:

(desculpem a qualidade da foto e estar deitada, mas como foi tirada com o telemóvel, não consegui melhor.... :(

 

Tinha de ficar 2 horas com o tampão no nariz e entretanto o papá veio juntar-se a nós. Também tinhamos de aguardar o resultado das análises. Assim por volta da 19h chamaram-nos de novo a dizer que as análises pareciam bem, apesar de hemoglobina estar mesmo no limite mas falta 2 que são importantes e que só estão prontas daqui a 1 semana. Tenho de as ir levantar e depois mostrar ao pediatra, para me encaminha de novo para o hospital caso os valores sejam irregulares. As análises que faltam são:

- factor Von Willebrand r/co

- factor Vom Willebrand: Ag

Alguém sabe para que servem???? Acho que nunca ouvi falar!!!

 

Voltamos ao otorrino para tirar o penso e ele parecia outro menino. Como já sabia o que o esperava, portou-se muito bem e deixou o médico mexer-lhe no nariz sem se queixar nem protestar. A hemorregia parou e acho que ele fez qualquer coisa na veia que eu não percebi o que era mas o que importa é que resultou. Pelo menos até agora não deitou mais sangue, vamos ver como corre daqui para a frente. Amanhã fico com ele em casa para ver se controlo o mexer no nariz e se não bate em nada. Mas se tudo correr bem, volta 2ª feira para a escola.

 

Por isso às 20h estavamos despachados mas tivemos de esperar até às 21h 30m para lhe darem alta e tive de me chatear. Chamavam toda a gente menos nós.... Fui perguntar que se passava e tinha sido a médica que o atendeu que se tinha ido embora e tinha deixado os doentes dela com outra pessoa que os deve ter posto no fim da pilha!!! A outra médica dizia que tinha muita gente mas eu respondi que tudo bem mas ninguém estava lá à tanto tempo como eu, pois eu bem tinha visto as outras pessoas entrarem depois de mim!!!! Mas o importante é que corra tudo bem com o meu menino e que o assunto esteja resolvido, rezem por nós para que esteja sim.

 

E obrigada pela vossa preocupação, são umas amigas virtuais super-queridas.

 

 

 

 

publicado por era1xeu às 00:45

link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|

.Nome baby

Wizard Animation

.A minha familia

Pyzam Family Sticker Toy
Get your own Family Sticker Maker & MySpace Layouts.

.links

.subscrever feeds

.posts recentes

. Mais uma convulsão febril

. Obrigada Hospital Amadora...

. Convulsão e hospital de n...

. Um fim de semana para esq...

. 1ª ida às urgências do me...