.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. As birras

. Deixar a chucha

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.Prémio que ganhei

.Contador

visitas

.Relógio

blogs SAPO

.subscrever feeds

.My Baby

Lilypie 5th Birthday Ticker

.Adopção

Lilypie Waiting to adopt Ticker
Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008

As birras

Obrigada pelas vossas dicas sobre deixar ou não a chucha, mas já agora vou esclarecer algumas coisas e tirar algumas conclusões do que me disseram:

- tenho duvidas grandes sobre se devo ou não "obriga-lo" a deixar a chucha; eu fui chucho-dependente até aos 6 anos e acho que por isso nada de mal me aconteceu, mas confesso que 4 anos era a meta que eu tinha imposto a um filho que tivesse, ainda vou pensar no assunto melhor;

- o biberão é só mesmo para o leitinho da manhã, que ele bebe meio a dormir no carro, quando vai para a escola, pois o caminho é de quase 1 hora e eu visto-o a dormir e não temos tempo para mais, de resto ele bebe tudo por colo, garrafa ou palhinha, sem problema, para mim é que é mais cómodo pela manhã;

- quanto ao telemóvel era só uma moeda de troca para o Dinis deixar a chucha; não pensei em comprar um novo mas sim dar-lhe o meu antigo para ele brincar; nem era para ele andar com ele por ai ou o levar para a escola, era mesmo para ele usar como brinquedo, porque ele não quer fazer chamadas mas sim tirar fotos, fazer filmes, mudar e ouvir as musicas dos toques, etc; sei que é cedo mas ele já faz isso tudo quando apanha à mão o meu telemóvel ou o do pai...

 

 

 Então vou passar a outro assunto que me deixa de nervos em franja: as birras!!!!

 

Fui buscar o Dinis à escola, o meu marido ao emprego e demos boleia a uma amiga e colega, que foi operada à coluna e não pode consduzir muito. Como ela anda de transportes publicos e a casa dela fica no caminho para a nossa, por vezes damos-lhe boleia até lá. O JD está habituado a que isto acontecça de vez em quando. Adora a minha amiga e vai sempre muito feliz a conversar com ela, até a deixarmos à porta de casa.

 

Nesse dia havia muita fila e tivemos de regressar a casa por um caminho diferente, que por alguma razão incompreensivel, não lhe agradava. Pediu para voltar ao caminho normal e como não lhe fizemos a vontade gritou, gritou e gritou. Dizia que aquele caminho era feio e mau; dizia para eu voltar para trás; chamava por mim.... Gritou o caminho todo para casa, o que acabou por ser uns 50 minutos. É um desepero conduzir com uma criança a gritar aos nossos ouvidos. Fizemos de tudo: ralhar, dar uma palmadinha, ignorar, tentar distrai-lo mas nada resultou... Quando o carro parou à porta de casa, como por magia, a birra passou e ficou super-bem disposto.

 

Fez outra a caminho de um hiper, porque não fomos àquele que ele achava que iamos. Outra porque não o deixei mexer num objecto que o podia magoar. Antes de ontem fez mais uma a caminho de casa, em que berrou o caminho todo que queria a mamã, comigo mesmo ao pé dele, mas a conduzir.

 

Optei por não lhe ligar. E quando cheguei a casa, sentei-o no meu colo e tive um caonversa séria com ele. Expliquei que gostava de conduzir e não ia deixar de o fazer só para não o contrariar. E disse que era como as coisas que ele gosta de fazer, comer doces, ver os bonecos na tv ou andar de trotinete. E se ele nunca mais o pudesse fazer? Se duvida que ia ficar triste. Ora a mãe também ficaria triste se não pudesse fazer essas coisas.

 

Pareceu-me que ficou lá qualquer coisa. Mas ontem ao fim do dia, lá veio mais uma birra. Desta vez foi porque não queria tomar o xarope na colher do costume e queria tomar noutra à escolha dele. Perante o meu "não" começou a gritar, fechava a boca, ditava-me a lingua de fora e dizia "Deixa!".

 

Confesso que desta vez fiquei triste, muito triste. Sei que é normal, que esta é a idade das birras e também que ele nem é dos piores, mas senti-me a pior mãe do mundo. Ignorei-o. Não lhe dei o xarope. Quando se acalmou, lavei-lhe os dentes e disse-lhe que não lhe ia ler uma história ao domir, porque estava triste.

 

Ele achou que era só a fingir mas quando viu que eu não lhe lia a história, começou a chorar e disse que já tomava o xarope. Disse que era tarde demais e que me sentia triste com ele. Disse que não tinha chorado no carro mas eu falei-lhe na birra. Que o adoro, que é a luz da minha vida. Mas não pode fazer tudo o que quer. Que a vida é cheia de "não" e que temos de aprender a viver com eles desde pequenos.

 

Chrou agarrado a mim e disse que ia portar-se bem e não tonava a fazer birras. Adomeceu abraçado a mim, a fazer-me festinhas e a dizer que gostava muito de mim.

 

Sei que esta fase é mesmo a fase de birras. sei que são normais e que fazem parte dos crecimento. E que ele até nem é dos piores. Mas isso não impede que fique triste, que me questione sobre o facto de estar a ser boa mãe, de o estar a educar bem. Será que devo ser mais rigida? Será que lhe devia dizer não mais vezes?

 

Queria educar uma pessoa valida para a sociedade, simpática, bem educada, com bons sentimentos, preparado para os problemas da vida, mas ao fim e ao cabo, não é mesmo isso que todas as mães querem?

 

Enfim, haja paciência e que esta fase passe depressa ou pelo menos que as birras não sejam muito frequentes, para eu poder respirar um pouco e recuperar a compostura.

 

 

Bom fim de semana prolongado, nós cá vamos tentar passa-lo de uma maneira divertida e ocupada, mas depois conto pormenores.

 

 

tags: ,
publicado por era1xeu às 23:20

link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|
Terça-feira, 2 de Dezembro de 2008

Deixar a chucha

Obrigada pelas vossas mensagens simpáticas, eu já estou bem, apesar de a dor de gargante só ter passado totalmente ontem, era mesmo das dificeis. O Dinis continua com tosse e ranhoso, mas não o posso fechar em casa e deixar sair apenas quando o calor voltar. Pelo menos se não tiver febre, não é mais.

 

Por isso o nosso fim de semana, que deveria ser de passeio, foi muito caseio:

* sábado

- ida da mamã ao oftalmologista, pois estava a precisar de mudar de lentes;

- mais umas compras de Natal, que conseguimos fazer por termos ido para o centro comercial ainda de manhã, quando saimos era o caos total para entrar, e há vrise, olha se não houvesse????               

* domingo

- almoço em casa dos avós uma uma grande, grande rabujeira, que acabou com uma bela de uma sesta;

* 2ª feira

- em casa, no choco, só saimos para ir a um super-mercado comprar umas coisas que necessitava para o jantar

 

Por isso vou hoje falar de um assunto que já ando para abordar á algum tempo.

 

Quando fomos à consulta dos 2 anos, o pediatra disse que até aos 3 anos o JD tinha de largar as fraldas, o biberão e a chucha. Na consulta dos 3 anos, ele nem perguntou se ele tinha deixado estes objectos ou não, mas a verdade é que tal ainda não aconteceu.

 

O biberão é mais por culpa minha, pois é cómodo para mim que ele beba o biberão de leite no carro, a caminho da escola. Já tentei várias vezes que bebesse um pacote de leite pela palhinha, mas não resultou, apesar de beber leite pela caneca ou por palhinha se não for de manhã.

 

A chucha eu bem gostava de lha tirar. Já tem os 2 dentinho da frente de baixo um pouco tortos para dentro e acho que tem a ver com a chucha, apesar de esta ser daquelas muito pequeninas, dos recém-nascidos, pois de chuchas grandes nunca gostou.

 

Ele usa a chucha apenas para adormecer, quando está doente ou faz birra. Normalmente não se lembra dela, a não ser que a veja e por isso estão todas fora da vista. E digo todas, pois até aos 4 meses ele não pegava na chucha e como era um bebé muito irrequieto, eu ia insistindo. Por isso tem ai uma meia duzia e todas lhe servem.

 

Quando as aulas estavam a acabar, na escola anterior, ele dizia que ia largar a chucha quando fosse para a sala dos meninos de 4 anos. Mas como mudou de escola, não lhe quis estar a tirar o aconchego que ele tinha, pois no fundo é para isso que funciona.

 

Agora diz que quando fizer 4 anos vai deixar a chucha. E eu disse-lhe que ele podia pedir o brinquedo que quizesse, que a mamã e o papá compravam. E sabem o que ele pediu? Um telemóvel a sério, mas só dele, que a mãe e o pai tem um cada um e ele também quer...

 

Fiquei de boca aberta e queria os vossoa conselhos. Se por um lado acho cedo para ele ter um telemóvel, que ele usa como brinquedo, quando apanha algum dos nossos, não para fazr chamadas mas para tirar fotos, fazer filmes, mudas os sons, etc, é um ás do telemóvel, por outro lado se calhar era uma boa oportunidade para acabar com este vicio.

 

Eu leio nos blogs que a maior parte das crianças nestas idades já não usam chucha, mas na escolinha dele existem alguns da mesma idade que a usam e ele usa isso como argumento.

 

Digam-me da vossa justiça, por favor

 

 

publicado por era1xeu às 18:49

link do post | comentar | ver comentários (27) | favorito
|

.Nome baby

Wizard Animation

.A minha familia

Pyzam Family Sticker Toy
Get your own Family Sticker Maker & MySpace Layouts.

.links

.subscrever feeds

.posts recentes

. As birras

. Deixar a chucha