.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O telefone tocou de novo

. Feliz Ano Novo 2010!!!!

. Feliz Natal!!!!

. Boa Páscoa

. Selinho que ganhei....

. Vou mudar de sitio....

. O electroencefalograma do...

. Desafios

. O telefonema da Segurança...

. A consulta do Dinis

.arquivos

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.Prémio que ganhei

.Contador

visitas

.Relógio

blogs SAPO

.subscrever feeds

.My Baby

Lilypie 5th Birthday Ticker

.Adopção

Lilypie Waiting to adopt Ticker
Domingo, 31 de Agosto de 2008

Cenas de umas férias

As nossas férias acabaram e amanhã é dia de voltar à rotina normal, ou seja, trabalho e escola. Não que isso seja necessáriamente mau, eu gosto de estar de férias mas era incapaz de não ter uma ocupação concreta na vida. Como tal, fico feliz por ter o meu emprego para o qual posso voltar.

 

As nossas férias foram quase todas passadas no Algarve. Tenho uma prima que tem uma vivenda com piscina por lá (costumo dizer que é a unica com algum dinheiro na familia, pois descendo de uma longa linha de pobres....)

 

Este ano o dinheiro está curto, por causa da casa nova, como tal, toca a aproveitar a estadia de borla. O unico senão é que a minha prima, dona da casa, com 70 e tal anos, também foi connosco. Mas não nos incomodou nada. A maior parte do tempo ia aos sitios onde iamos e se não queria ir, ficava em casa. Só à noite é que eu sei que ela não gosta de ficar sozinha, mas com o Dinis, também não se pode fazer grandes noitadas, certo?

 

Por isso, passeamos pelos seguintes sitios:

- fomos a Olhão, à Festa do Marisco, uma das minhas favoritas, pois adoro todo o tipo de marisco; o Dinis também adorou e passou o resto das férias a perguntar quando iamos lá de novo;

- fomos a Lagoa, à Fatacil e o JD adorou principalmente os animais que por lá haviam; fez festinhas em todos os que estavam à mão dele e deu palha aos cavalinhos;

- fomos a Quateira, à Feira do Artesanato e do Livro; aqui fomos várias vezes, pois ficava perto do sitio onde estavamos, além de ser um bom passeio à beira mar; também andamos no comboiozinho turistico, algo que andavamos a planear fazer à bastante tempo;

- demos passeios pela Marina de Vilamoura, pois o Dinis adorava ir ver os barcos e correr atrás das baratas que por lá andavam, de chinelo na mão....

 

Também tivemos alguns encontros, que souberam mesmo bem:

- uns primos meus e uns amigos deles, que nós também conhcemos bem, estavam por perto e podemos encontrar-nos, sendo que o Dinis gostou de brincar com a prima A. e o amigo D.;

- fui a um lanchinho de amigas da API(F), organizado pela Olinda, mamã da Rafaela; adorei reve-la (conhecia-a pessoalmente quando fui à TVI, ao programa do Goucha) e gostei de conhecer mais 2 meninas com os seus rebentos e um casal de quase papás, tudo pessoas com problemas de infertilidade, tal como eu; um beijinho muito grande para todas e até breve;

- uma colega de emprego, com quem me dou bastante bem, também estava de férias por perto e estivemos juntas 2 vezes, com a respectiva familia;

 

Como podem ver, as minhas férias foram bem preenchidas, mas nem tudo foi um mar de rosas, mas isso fica para outro post, porque agora vou deixar-vos algumas cenas das nossas férias.

 

Além do que descrevi antes, nas nossas férias tivemos muita piscina

 

 

Quer o seu tamanho fosse grande

 

 

Ou pequena, o que importava era que tivesse água para nos refrescar

 

 

Mas pelo sim e pelo não, o Dinis via sempre a temperatura da água, antes de entrarmos

 

 

 Também fomos algumas vezes à praia, pois a mamã e o Dinis adoram praia

 

 

 

Mesmo que às vezes o tempo não estivesse grande coisa e tivessemos de ficar vestidos

 

 

Mas a maior parte do tempo ficavamos até o sol se por

 

 

E ainda deu para fazer alguns passeios (esta foto foi tirada em Alte, conhecem? Senão é um sitio que aconselho a conhecer...)

 

 

Claro que nas nossas férias, nunca podem faltar os parques infantis

 

 

E os bonecos mecânicos, que aparecem em cada esquina para tentar as crianças. Mas o Dinis nem se importava que estivessem desligados, pois andava na mesma num "faz de conta"

 

 

Mas mais importante que tudo, foi estarmos juntos, com saude e muito, muito amor

 

 

Sim, também houve doenças, carro avariado, birras, palmadas, castigos e muito, muito mais, mas isso fica para outro post, que este já vai longo.

 

Espero que tenham gostado das fotos. Bom regresso ao trabalho, para quem como eu, começa amanhã na sua luta.

 

E a pouco e pouco vou tentar colocar em dia as novidades, que estive quase 3 semanas sem ir à net e as saudades vossas são mais do que muitas...  :)

 

tags:
publicado por era1xeu às 23:14

link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|
Terça-feira, 26 de Agosto de 2008

Já votaram no meu blog????

Pois é, amigas, eu estou a concorrer a um concurso na net, com este meu lindo e fofinho blog e preciso da vossa ajudar para ganhar qualquer coisinha...

 

Por isso toca a ir ao site www.superbock.pt, fazer a inscrição e votar o meu blog, ok? Se quiserem ir directamente ao link da votação, é só verem do lado esquerdo do meu blog, no simbolo respectivo e clicar lá.

 

Sim, sim, eu sou uma chata mas nunca é demais lembrar. se já votaram, o meu muito obrigada. Se ainda não, toca a votar nesta vossa amiga e obrigada a vocês também...

 

Se o site estiver congestionado, é uma questão de tentar mais tarde.

 

Beijocas mil

publicado por era1xeu às 00:04

link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Agosto de 2008

Há 2 anos atrás....

Foi o pior dia da minha vida. Perdi a minha mãe, que além de mãe querida, com quem tinha uma relação muito boa, era a minha melhor amiga, em quem eu confiava a 200% e que tinha sempre uma palavra amigas nas minhas horas mais dificeis.

 

Foi tudo tão rapido, foi tudo tão subito e inesperado. Quando as pessoas tem doenças muito prolongadas ou tem já muita idade, acabamos por estar à espera, apesar de nunca estarmos verdadeiramente preparados para estas fatalidade.

 

Mas não, nada disso se passava. Em Junho tinha sido detectado um tumor nos intestinos da minha mãe. Fiquei tão revoltada! Tinha pedido o meu pai aos 19 anos, com um cancro na prostata, a minha mãe també, nem queria acreditar. Fez montes de exames e estava à espera que a chamasse para fazer quimio e radioterpia, antes de ser operada.

 

No dia 16 telefonou-me a dizer que não se sentia bem. Tinha falta de ar e muita tosse. Eu estava de férias e fui te com ela e levei-a ao Centro de Saude. Era Agosto, está toda a gente de férias e quase um dia inteiro de espera para lhe dizerem que devia ser uma bronquite e lhe receitarem um antibiótico.

 

Troxe-a para a minha casa. Mas custou-lhe muito subir as escadas. Não tinha forças para nada. Sempre na cama, dizia que se sentia mal. Se a conhecessem, era uma mulher cheia de vida, para estar assim, era porque não se sentia mesmo bem. E eu sem saber o que fazer, chorava à noite à porta do quarto onde ela dormia e onde ia só para a ouvir respirar e saber que estava viva.

 

Dia 18 melhorou. Fiquei tão feliz. Se calhar os medicamentos estavam a fazer efeito. Ela chorou ao jantar, por não ter forças nem para levantar o prato da mesma.

 

No sábado de manhã sentia-se tão mal e cansada que chamei uma ambulância e levei-a ao hospital. Desmaiou na sala de espera e foi logo encaminhada para o SO. Fiquei cá fora á espera. Nunguém me dizia nada. Pelas 19h 30m fui perguntar por ela. Levei um raspaneta do senhor do atendimento, as urgências não são salas de visitas. Eu só queria saber dela. Não tinha noticias à quase 8 horas.... Finalmente chamou-me um médico. Disse que eu a podia ver. Não sabiam bem que tinha tido mas suspeitavam de algo no coração ou nos pulmões. Ia ficar essa noite em observações no SO.

 

Fui ve-la. Estava animada. Disse que estava a ser muito bem tratada e que agora é que ia ficar tudo bem. Sabia que ali é que iam resolver o problema dela. Eu pouco lhe falei, só a ouvia e bebia as palavras dela. Ela insistia que eu me fosse embora, tantas horas longe do meu menino e ele de certeza a precisar de mim. Sai de lá mais feliz, certa de que tudo se ia resolver... Foi a ultima vez que a vi com vida.

 

Na manhã seguinte telefonei, tal como me tinham dito para fazer. Não tinham ninguém no SO com o nome dela. Perguntei se tinha sido transferida para um quarto. Disseram que era melhor ir lá para falar pessoalmente. E eu feita tonta, a pensar que já estav num quarto e bem melhor.

 

Sem pressas, metemos-nos os 3 ao caminho e disse ao meu marido para ficar num ardim que há no hospital, com o menino.

 

Quando cheguei ao balcão, dei os dados dela e me perguntaram se tinha vindo acompanhada, caiu-me tudo aos pés. A noticia não ia ser boa, de certeza. Mas acreditem que mesmo assim, não pensei no pior.

 

Um médico chamou-me, disse-me que ela tinha tido uma paragem respiratória às 3 da manhã e não a tinha conseguido reanimar. Nem acreditei, como era possivel? Não sabiam porquê, só com autopsia. Não quis. Não ia mudar nada...

 

Chorei, chorei como nunca chorei na vida e ainda choro. Durante dias e dias vivi dormente, sem acreditar no que me tinha acontecido. Cada vesz que o telefone tocava, tinha sempre esperança que tudo tivesse sido um sonho mau e que fosse ela a ligar. De tal maneira que mandei desligar o telefone fixo. A minha mãe, que tanta falta me fazia e ao meu menino também, pura e simplesmente tinha deixado de existir. Que teria feito eu para merecer tal castigo?

 

Só à pouco tempo comecei a conseguir falar dela sem chorar. Devia ir mais vezes ao cemitério mas não consigo, é doloroso demais. Sai de lá sempre lavada em lágrimas e a perguntar porquê. A minha mãe tinha 68 anos e uma vida linda para viver, ao lado do neto que tanto desejou e tanto amava.

 

Minha querida mãe, sinto tanto a tua falta, era um farol na minha vida, que me guiava, que me dava todo o seu amor sem pedir nada em troca. Foi tão dificil continuar a viver sem ti... Só mesmo o meu filho me deu forças para seguir em frente.

 

Passaram 2 anos, desde que te vi com vida pela ultima vez mas podem passar 200 que nunca, nunca te esquecerei, nunca deixarei de pensar em ti, um unico dia da minha vida. Estás viva dentro de mim, dentro do meu peito e o meu amor por ti é infinito. Mãe, porque te foste embora? Porque me deixaste aqui sozinha, preciso tanto de ti, fazes-me tanta falta, nem que seja só para conversar um bocadinho... Adoro-te, minha mãe querida, meu anjo.

 

  

 

publicado por era1xeu às 00:08

link do post | comentar | ver comentários (35) | favorito
|
Sábado, 16 de Agosto de 2008

As férias da escola

Eu tinha este post preparado para editar, quando aconteceu o problema de saude do meu filho. Mas não queria deixar de partilhar estes momentos felizes com vocês e para que não tenham muitas saudades nossas, durante as férias, aqui vai ele.

 

Tal já como vos tinha dito, a escola do meu filho fecha o Agosto inteiro, como a maior parte das escola, pelo que tenho percebido, mas nem eu nem o meu marido podemos ficar o mês inteiro em casa. Por isso, os 1ºs dias do mês de Agosto foram de alguma confusão para o Dinis, sempre de um lado para o outro, com a casa às costas.

 

Na 1ª 3ª feira do mês ficou em casa dos avós, mas eu pedi-lhe para trazerem o meu menino ao meu emprego, pois tinha combinado um encontro com uma amiga até ao momento, apenas virtual. O encontro era num sitio muito giro, que eu não conhecia e que afinal fica tão à mão...

 

Atrasados, como sempre, lá chegamos ao ponto de encontro e a mamã Susana já estava à nossa espera. A mamã Susana tem 3 filhotes, que bom deve ser ter sempre a casa cheia... Mas apenas estava o mais pequenino com ela e por isso se atreveu a marcar este encontro, pois com 4 crianças e 2 adultos, seria sem duvida complicado.

 

Gostei logo desta mamã e do seu filhote Diogo, que tem uma cara e um sorriso lindos e que é muito parecido com o meu ilho em actividade, pois nunca pára.

 

E lá fomos nós com eles ver o cavalinho, que nos presenteou com uma oferta mal cheirosa, que deixou os miudos de boca aberta... O Dinis gritou: "Mãe, que porcaria, está ali um passarinho a comer o cócó do cavalo!!!!!" Só mesmo este filho para pensar nestas coisas

Fomos ver também os burrinhos e os cães, sendo que os 2ºs não eram lá muito simpáticos e ladravam quando nos aproximamos. Não sei se eram muito de confiar....

 

Também vimos passarinhos e patinhos ("Ó mãe, não ves que aquele é um ganso????)

 

 

Vimos também os porcos, aos quais os nossos meninos queriam fazer uma festinha, como nos cavalos e nos burros, mas que ficaram assustados com o comentário de um senhor, que disse que estes lhes podiam comer os dedos.

 

 

Houve pois muita correria e muita boa disposição, que acabou com muita sede também. Estava calor e os meninos não resistiram a beber um pouco de água.

 

 

Foi pois um fim de dia bem passado. Gostei muito de conhecer a mamã Susana e o seu menino lindo, espero que possamos repetir estes encontros mais vezes.

 

 

Na 1ª 5ª feira do mês foi dia de o meu menino ir para casa da minha tia, irmã da minha mãe e de brincar com o meu afilhado e uma amiguinha dele. E como a minha tia tinha feito anos no dia anterior, o Dinis fez questão de levar um bolo e velas para se poder cantar os parabéns. A minha tia não liga nada a essas coisas, mas pelo sobrinho, fez um sacrificio. Aqui estão eles a jogar Playstation.

 

O JD divertiu-se e sem duvida que tem gostado desta vida de nómada, mas na manhã seguinte, quando acordou, perguntou:

"Mamã, é hoje que ficas comigo o dia todo?"

"Não filho, a mãe tem de ir trabalhar, mas é só hoje e amanhã e depois ico muitos dias contigo, está bem?"

"E para onde vou hoje?" - perguntou a choramingar

"Vais para os avós, pode ser?"

"Tá bem, mamã, mas depois quero que fiques comigo o tempo todo"

 

Estava mesmo ansioso por férias e por passar o tempo todo com a mamã e o papá. Mal sabiamos nós que antes que isso acontecesse, ainda iamos apanhar o maior susto das nossas vidas....

 

Beijocas 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

tags: ,
publicado por era1xeu às 23:21

link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

Obrigada Hospital Amadora-Sintra

Sim, desta vez faço questão de dizer qual foi o hospital onde o meu filho foi atendido. Foi nos Hospital Amadora-Sintra. Graças a Deus só lá tinha ido até agora visitar outras pessoas e nem sempre ouvi dizer muito bem dele. Mas eu fiquei agradávelmente surprendida com o tratamento.

 

OK, não lhe fizeram nada de especial, mas a simpatia e o rápido atendimento faz com que nos sintamos mais seguras de que o problema poderá ser identificado e resolvido. As enfermeiras e médicas eram muito simpáticas para o meu filho e estavam sempre a por-me a par da situação, por isso sentia-me sempre mais descansada por isso, mesmo quando estava muito preocupada por a febre não baixar.

 

Uma amiga minha dizia-me que nós gostavamos consoante o resultado, pois se as coisas corriam bem, gostavamos do atendimento, se coriam mal~, não gostavamos. Mas acreitem, desde Março é o 4º hospital que visito com o meu filho e foi naquele em que ele foi mais bem tratdo. Por isso, obrigada ao pessoal do Hospital Amadora-Sintra, que tão bem tratou o meu filho.

 

Agora já estou mais calma, ele não tem tido febre mas até tenho medo de dizer que ele está bem. Passo a vida a por-lhe a mão na testa e o termómetro tornou-se o meu melhor amigo. Temos dormido os 3 na mesma cama. O que vale é que a minha cama é grande, mas isso não impede que se acorde com ele em cima de nós ou com uns pés na nossa boca.

 

Ele também anda muito feliz. No dia em que regressou da hospital vinha tão contente que dava gargalhadas enquanto subia a escada.

 

Eu não consigo parar de olhar para ele e de me sentir abençoada. Não posso viver sem ele e até os seus disparates me parecem a melhor coisa do mundo. Só me apetece estar sempre a beija-lo e a dar-lhe mimos.

 

Estou a tentar encarar tudo o que me tem acontecido de outra forma. Temos de pensar que podia tudo sem bem pior e ver o lado menos mau de tudo. Se a vida nos dá limões, temos de fazer limonada, certo?

 

Por isso estive a pensar:

- o meu filho teve um torcicolo provocado por uma pancada, mas podia ter sido bem pior se ele tivesse tido um hematoma;

- o meu filhote teve uma convulsão febril, mas podia ter sido bem pior se não tivesse sido provocada pela febre ou se a febre não tivesse baixado ainda;

- não nos queriam renovar a licença para acabarmos a construção da nossa casa, mas o meu marido conseguiu que lha prorrogassem por mais 6 meses (1 já lá vai...) é ese o prazo que temos para a acabar, senão lá vai mais uma pipa de massa para uma nova licença;

- não conseguimos vender a casa onde moramos e o dinheiro da venda faz-nos muita falta, mas quem sabe se não é melhor assim, se a vendessemos antes da nova estar concluida, tinhamos de mudar tudo para algum sitio e depois para a nova casa;

- não consigo ter mais filhos biologicos e por adopção, só mo devem dar quando eu tiver uns 90 anos e ai com uns 10 anos de idade, sendo que eu vou recusar, claro; talvez seja melhor assim para o meu filho, talvez ele precise de mim só para ele, talvez porque eu não tenho ninguém para me ajudar agora (tinha a minha mãe quando o Dinis nasceu que me ajudou e muito...) por isso a minha vida ia ser super-dificil se mais uma criança entrasse nela (ok, ok, esta ultima ainda tenho de a repetir para mim mesma umas 200 vezes para me convencer, mas eu chego lá...);

 

Tenho de pensar assim, por mim, pela minha sanidade mental, pelo meu filho, pelo meu marido e por todos aqueles que me rodeiam. Tenho de tentar ser feliz com o que tenho e ver o lado positivo da vida. Só assim posso continuar o meu caminho, cheio de curvas e contracurvas.

 

Amo cada vez mais o meu filho e a prespectiva de o poder perder é sem duvida o pior pesadelo de uma mãe. A minha vida acabaria se algo de muito grave acontecesse, mas os sustos que tenho tido fazem-me ver com mais clareza como sou uma pessoa de sorte por ter a companhia do meu filho, lindo, feliz e saudável.

 

Por isso o meu muito obrigada a todos os que nos apoiaram, por telefone, com mensagens, aqui no meu blog, e também aos porfissionais de saude que tornaram possivel o regresso a casa do meu querido e amado filho. Acreditem, quando somos crianças queremos muitas vezes ser médicos de bebés mas não é tarefa fácil. Mas crianças que passam pelas mãos destas pessoas estão doentes, assustadas e fragilizadas, não será pois nada fácil lidar com elas. Eu passei a noite inteira a ouvir crianças gritar e chorar, ao serem examinadas por pessoas, que elas não conheciam, por muito amáveis que estas fossem.

 

Amo-te meu filho lindo, e tu sabes isso, pois eu repito-to 200 vezes por dia e tu responde: "Gosto muito de ti e também te amo muito, mamã" (as palavras mais lindas do mundo!!!!

  

 

 

 

tags:
publicado por era1xeu às 23:17

link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|
Sábado, 9 de Agosto de 2008

Convulsão e hospital de novo

Os chineses dizerm que o nº 8 dá sorte e por isso 8/8/2008 pelas 8h 8m seria uma altura mágica e de muita sorte. Mas para mim, ficará sempre na memória como um dia bem negro na minha vida.

 

Tudo começo no dia anterior, quando fui buscar o meu filho a casa dos meus sogros. Notei que estava um pouco mais mole que o habitual, a pedir para dormir, apesar de ter dormido uma boa sesta. Quanto cheguei a casa vi-lhe a febre e tinha 37,6º, portanto mais quente que o habitual e dei-lhe Ben-u-ron. Dormiu até às 4 da manhã, altura em que me chamou, dizendo que queria fazer xi-xi. Quando o levantei, deitou sangue pelo nariz. Situação já habitual nele, mesmo depois da veia queimada no Hospital da Estefânia. Não foi nada de especial nem em grandes quantidades, por isso controlei a hemorregia, peguei-lhe ao colo e depois de o adormecer, fiquei mais um pouco junto dele. O meu coração de mãe não estava sossegado e ainda bem que assim foi.

 

5 minutos depois abriu os olhos com um ar alucinado e começou a revirar os olhos. Chamei por ele, abanei-o, bati palmas, gritei-lhe aos ouvidos, acendi a luz do quarto, apontei-lhe uma lanterna aos olhos e nada!!! Fiquei em pânico e gritei ao meu marido que tinhamos de ir para o hospital com o menino. Enquanto eu me vestia o pai estava com ele ao colo e tentava que reagisse. Mas nada! Quando veio para o meu colo, para o pai o vestir, notei que ficava mais descontraido, pois os braços e as pernas ficaram rigidos. Perguntei-lhe o nome dele e o meu e ele respondeu correctamente. Mas depois começou a balbuciar coisas sem nexo tipo "gá gá gá" ou "nhã nhã nhã".

 

Fomos para o carro e ele começou a falar melhor mas coisas sem sentido, como "Mão liga o video" ou "vai buscar a bola debaixo da cama". Quando paramos o carro à porta das Urgência do hospital, ele vomitou sangue! Pareciamos sem duvida 2 loucos a correr como menino aos colo pela porta dentro, nem sei se fechamos o carro...

 

Entramos logo e foi visto por uma médica. Chorava sem parar, até que se acalmou comigo a falar com ele e adormeceu.

 

Tinha de fazer análises e raio x ao torax, por causa do sangue que vomitou e ficar em vigilância pelo menos 12 horas.

 

Acordou com a picada para lhe colocarem o cateter e tiveram de o picar 3 vezes, pois a agulha entortava sempre. Fez o raio x e achou piada a tirarem-lhe uma foto com luzes.

 

Tinha 37,8º de febre quando começou a sangrar pelo nariz e o pai deu-lhe Brufen. Quando foi à triagem tinha 37,9º, quando foi visto pela médica já tinha 38,8º...

 

À 1º vista, o vómito de sangue (horrivel, preto, meio digerido e com um cheiro horrivel) devia ser o sangue que tele tinha engolido em vez de explir pelo nariz. mas para despistar algo mais, fez o raio x ao torax.

 

Fomos para o SO por volta das 7 e meia da manhã e foi ai que o meu menino foi vencido pelo cansaço e adormeceu. A enfermeira disse-me para eu me sentar numa cadeira reclinável e descansar um pouco. Acham que consegui? Não despregava os olhos do meu menino, com medo que alguma convulsão voltasse.

 

Tudo me passava pela cabeça, o que seria, se ele iraia ficar bom, se ira ter porblemas mais tarde... As forças que tinha ido buscar sabe-se lá onde estavam por um fio e sentia-me completamente desesperada. Afinal pedi o meu pai no hospital e a minha mãe também...

 

Tinha de estar só eu com o menino, por isso o meu marido foi embora e apesar de ele me ter telefonado várias vezes a perguntar que eu queria que ele me substituisse, eu não podia deixar o meu menino. Nunca mais o vou fazer com ninguém que ele ao hospital. A minha mãe ficou lá e nunca mais a vi com vida, se eu soubesse...

 

O raio x apresentava uns pulmões limpos, a análises de urina estava boa. Só as de sangue apresentavam um infecção, apesar de ser ligueira, sendo que tal indicava que não devia ser meningite nem encefalite, mas tinhamos de ver como a situação ia evoluir e podia vir a ser necessário fazer uma punção para despistar essas doenças.

 

A meio da manhã fomos ao otorrino, que mal lhe mexeu no nariz, desencadeou uma hemorregia brutal. Tiveram de lhe laquear uma veia na narina direita de novo, o que já tinha sido feito no Hospital da Estefânia, o que desencadeou uma gritaria enorme. Como resultado ficou com a parte por baixo do nariz preta e chamuscada, pelo que parece que está mascarado de gato, não  vos parece?

 

 

 Passamos o dia no SO, entre periodos sem febre e outros com febre. De tarde foi dificl baixa-la, mesmo com medicação, pelo que a maldita só baixou à custa de pouca roupa no corpo e compressas de água fria na testa e corpo. Vejma o meu menino, no hospital:

 

 

Se a febre tivesse baixado, tinham-nos deixado sair ainda ontem, mas isso não estava a acontecer. Tinhamos de lá passar a noite.

 

A febre só subiu por volta da 1 da manhã e deram-me um supositório de Ben-u-ron para lhe por. Até este momento a febre não voltou. Por isso, por volta do meio dia, deixamos o hospital, Não sabem de onde veio a febre. Provavelmente uma virose. O sangue foi mesmo o que não deitou pelo nariz e a convulsão pode ter sido pontual ou pode acontecer de novo. Como foi derivada à febre é menos perigoso do que fosse sem febre. Receitram um relaxante muscular para o caso de voltar a acontecer. E disseram para vigiar se ele voltava a ter febre.

 

Vim para casa tão feliz e o meu menino também... Esta manhã ele já tinha voltado a ser o menino que eu conheço, a cantar e cheio de perguntas. Quando chegou a casa estava tão feliz que dava gargalhadas enquanto subia as escadas.

 

E eu? Não ganhei para o susto! Tive muito medo de perder o meu menino ou de ele ter problemas graves de saude. Não sei onde fui buscar forças. Por durmo desde as 4 da manhã de 5º para 6ª feira. Mas não domir descansada nos próximos tempo. E se sucede de novo e eu não dou conta? Será que já alguma vez terá acontecido e eu não dei conta? E se eu não me tivesse deitado ao pé dele? E se eu tivesse adormecido logo? Acho que vou dormir com ele nos próximos tempos, que acham?

 

Estou feliz por o ter de novo bem a meu lado, mas para mim ainda não acabou. Só vou descansar se nos próximos tempos não acontecer nada. Olho para ele e sei que é o sol da minha vida e sem ele nada faria sentido.

 

Já não vamos embora amanhã, como planeado, vamos esperar mais uns dias e se tudo correr bem, vamos então de férias como deve ser.

 

Mas o medo vai ficar entanto me lembrar do terror que foi ver o meu menino sem dar acordo de si. Ou seja, vai continuar para sempre.

 

Se algume tiver experiência deste tipo de problemas, por favor, partilhem comigo, ok?

 

(peço desculpa pelo post aos bocadinhos, mas ainda não devo estar em mim, carreguei no "publicar" sem querer e depois fui actualizando aos bocadinhos...  :)

 

publicado por era1xeu às 19:30

link do post | comentar | ver comentários (36) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Agosto de 2008

Fim de semana alentejano

No sábado fomos até ao monte alentejano de uma colega e amiga minha. É mesmo um tipico monte alentejano, onde andamos, andamos e andamos e vemos terrenos a perder de vista, com alguns chaparros pelo meio.

 

Estava muito calor mas a casa da minha amiga era fresca e sabia bem estar lá dentro.O Dinis adorou as vacas que pastavam por ali e que insistiam em estar na estrada, só saindo quando apitavamos o carro muitas vezes.

 

O almoço foi uma deliciosa feijoada de lebre, de comer e chorar por mais. Depois foi a preguiça total e o Dinis divertia-se a brincar com um carro telecomandado ou a baloiçar na rede. Por fim adormeceu e tive de o acordar passadas mais de 2 horas, pois a sesta estava a saber-lhe bem.

 

Regressamos a casa já o sol se tinha posto mas foi um dia bem passado, na companhia de amigos recentes mas que sentimos como se já fossem de longa data.

 

Em relação ao meu ultimo post, aqui fica o segredo dos rabiscos" do meu filhote:

- casa

- mamã

- papá

- avô

- avó

A maior parte das meninas acertou em cheio, excepto na primeira palavras mas eu avisei que era dificil...

 

O Dinis já está de férias. A escola fechou o mês de Agosto inteirinho e eu e o meu marido só temos férias a partir de 2ª feira. Por isso o meu menino anda de um lado para o outro, em casa de quem o queira receber.... Na 6ª feira e hoje foram os avós, ontem uns tios meus (a excitação foi tanta que na noite anterior adormeceu à meia noite e meia e acodou às 6 da manhã, a perguntar se já eram hora de acordar...) e amanhã fuca com a minha tia (irmã da minha mãe e com o meu afilhado.

 

Ele gosta. Diverte-se e anda a passear de um lado para o outro. E é por pouco tempo. mas férias estão mesmo a começar e eu estou a precisar muito, muito de não ter horários, de ficar um bocadinho de barriga para o ar e de mudar de ares. Ando cansada, com pouca paciência e a precisar de recarregar baterias. O ano tem sido dificil (muito trabalho, a tratamento que não resulto e a tomada de consciência de não vou mais ser mãe, o acidente/entrose dor meu menino) tudo tem contibuido para que o meu desejo seja ver este ano pelas costas e que o próximo seja melhor. Mas isso ainda vem longe, para já, só peço que esta semana passe depressa....

 

publicado por era1xeu às 12:49

link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Agosto de 2008

Fisioterapia e baba de mãe

Na 3ª feira passada foi o ultimo dia da fisioterapia do meu fihote! Fiquei tão feliz por o fisioterapeuta dizer que estava tudo bem... Disse que lhe parecia que já não precisava de mais secções mas se ele se voltasse a queixar com dores ou visse que puha de novo o pescoço de lado, para lá voltar. Mas penso que isso não vai acontecer, este tormento terminou. Ora vejam o meu menino a prepara-se para se massajado...

Tem uma toalha quente no pescoço, para relaxar os musculos antes da massagem. Ele porta-se muito bem, apesar de dizer que já não precisa de massagens porque já não lhe doi nada. Como recompensa fomos jantar a um centro comercial e ainda andou num carrosel que havia lá no pátio...

 

Capitulo encerrado então e não se fala mais no pescoço de lado. Infantário novo nem ve-lo mas em Setembro vou increve-lo em meia duzia deles e logo vejo qual o chama no próximo ano. Bom era que fosse uma escola que tivesse pelo menos até à 4ª classe e ficava descansada até essa altura, certo?

 

Agora apetece-me falar e destilar baba de mãe, sobre as proezas do meu filho. Não o considero mais esperto ou inteligente que os outros, mas sim muito observador e prespicaz, a maior parte das vezes ainda mais do que eu ... E à coisas que eu acho que ele sabe e faz, que me parecem um pouco avançadas para a sua idade. Pelo menos, eu mãe babada assumida, fico feliz e embevecida com elas:

- conhece todas as marcas dos carros e se vê um carro com uma marca que não conhece, pergunta logo, ficando esta logo registada;

- identifica muito simbolos e marcas de lojas e roupas, restaurantes, etc;

- sabe a maior parte dos sinais de trânsito que vê na rua e se não conhece algum, pergunta logo para ficar registado na sua memória;

- sabe todos os nºs e conta até 10 sem dificuldades e até 60 com alguma ajuda;

- sabe todas as letras do alfabeto, 1º só sabia as de imprensa mas agora já percebeu que as letrs podem ser diferentes e ter o mesmo significado, pelo que já identifica as minusculas quase todas.

 

A sua mais recente "proeza" passa pela tentativa de escrever. Pede-me para dizer a letras e ele vai escrevendo. Por isso aqui deixo as suas tentativas, que guardo religiosamente, como mãe babada que sou.

 

E deixo-vos o desafio de tentarem adivinhar o que ele estava a tentar escrever.... Depois eu publico o ranking das vossas respostas e o que ele queria dizer, aceitam o desfio?

  

Este é para mim o mais dificil de adivinhar e corresponde à 1ª palavras que ele "escreveu". A 1º tentativa e a 2ª...

 

Aqui temos a que me deixou totalmente babada... penso que esta é fácil, pela dica da minha baba também  :)

 

E esta, sabem o que quer dizer????

 

  

 Estas duas não querem dizer a mesma coisa mas quase....

 

E pronto, era esta a minha baba que eu queria dividir com vocês. Fico á espera dos vossos palpites 

 

Bom fim de semana para todos

 

 

publicado por era1xeu às 17:24

link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|

.Nome baby

Wizard Animation

.A minha familia

Pyzam Family Sticker Toy
Get your own Family Sticker Maker & MySpace Layouts.

.links

.subscrever feeds

.posts recentes

. O telefone tocou de novo

. Feliz Ano Novo 2010!!!!

. Feliz Natal!!!!

. Boa Páscoa

. Selinho que ganhei....

. Vou mudar de sitio....

. O electroencefalograma do...

. Desafios

. O telefonema da Segurança...

. A consulta do Dinis